Estudo de caso – Viagem para Nova York

Esse é o estudo de caso da utilização do Personal Model Canva (PMC) para viajar à Nova York no meu aniversário de 2018.

Se você olhar bem, vai perceber que o PMC parece uma estante, dividida em 9 diferentes nichos. O primeiro deles é o objetivo. Sempre, sem exceção, começamos a criação do Canva definido um objetivo. Quanto mais claro for esse objetivo, melhor.

Lembre-se que a grande funcionalidade do Personal Model Canva é trazer clareza. Na maioria das vezes, nossa mente é caótica e deixar o objetivo com o plano apenas na mente, tem grandes chances dele nunca se concretizar.

O primeiro passo, portanto, foi definir claramente o objetivo: Viajar para Nova York no meu aniversário de 2018.

Para contextualizar, quando decidi fazer essa viagem, estava em agosto e meu aniversário é dia 19 de dezembro. Tinha por volta de 5 meses para atingir esse objetivo.

Naquele momento, eu imaginava que tinha o dinheiro necessário para viajar. Na oitava prateleira do PMC, você vai fazer o levantamento dos custos do seu objetivo. Vamos chegar lá. Porém, o que eu não tinha e que me impedia de realizar esse objetivo, era o visto americano.

O segundo passo foi me comprometer com o objetivo. Primeiramente me comprometi comigo mesmo e depois com a Munic, minha esposa. Nesse momento é preciso se perguntar: estou realmente comprometido em alcançar essa meta? No meu caso, sim.

O terceiro passo, é a auto-imagem. Em outras palavras, você se enxerga capaz de realizar esse objetivo? Naquele momento eu me enxergava totalmente capaz de realizar ele. Conseguia me ver com clareza em Nova York curtindo a viagem.

O quarto passo são as fontes de renda. Como vou financiar meu objetivo? Nesse caso, de onde saíra o recurso financeiro para bancar a viagem?

Naquela época tinha a renda da empresa, pontos da Multiplus (que hoje é Latam Pass) e uma conta chamada “Conta dos Sonhos”, onde eu guardava 10% da minha renda nela, para justamente, realizar meus sonhos.

Se você observar o meu PMC, vai ver que também foi levantada outra fonte de renda: cryptomoedas. Essa era uma expectativa, a realidade foi que não ajudou em nada 😛

Veja que nessa quarta prateleira, eu fiz um levantamento de todas as fontes de renda que poderiam me ajudar a alcançar meu objetivo.

O quinto passo foi fazer o levantamento dos Recursos Importantes, vou detalhar cada um deles aqui:

  • Dólar: para utilizar durante a viagem, tanto em espécie, quanto em cartão pré-pago.
  • Real: para pagar os custos da viagem (por ex: hospedagem)
  • Pontos Multiplus: utilizar para a passagem de ida e volta.
  • Passagem: recurso importante para viajar, não é mesmo?
  • Hospedagem: outro recurso importante em uma viagem.
  • Visto: nesse momento, não importa o quanto de dinheiro tinha para o objetivo, se eu não tivesse esse visto, não iria rolar.
  • Ingresso NBA: como fã de basquete, queria ver um jogo.
  • Inglês: para ajudar na comunicação
  • Roteiros: por mais que eu não siga ao à risca, é legal saber os lugares legais para visitar.

Perceba que nesse passo, fiz um levantamento de tudo aquilo que poderia me ajudar nessa meta. Financeiro, digital, físico. Esses são os recursos que podem te ajudar no seu objetivo.

O sexto passo, parecido com o quinto, fiz um levantamento das pessoas ou empresas que poderiam em ajudar no objetivo. São elas:

  • Empresa que ajuda a tirar o visto: tem um monte de formulário e taxa, e algumas empresas são especializadas em te ajudar no preenchimento e pagamento deles.
  • Multiplus: a empresa que me ajuda a acumular pontos e viajar sem precisar comprar com dinheiro as passagens (isso ajuda demais!)
  • Aulas com o Max: ele era meu professor de inglês na época e suas aulas eram importantes para me comunicar na viagem.
  • Casa de câmbio: para comprar dólares
  • Ticket Master: um site que vende ingressos da NBA
  • Equipe do hotel: eu particularmente quando não conheço uma cidade, gosto de combinar com o hotel de ter alguém esperando para buscar no aeroporto.
  • Trip Advisor: para ler reviews de passeios, restaurantes, etc..
  • Booking: site de reservas de hoteis.

O sétimo passo é o levantamento das atividades importantes. Vamos vê-las:

  • Tirar o visto em São Paulo: como moro em Londrina, aqui não tem consulado, logo, teria que viajar para outra cidade.
  • Comprar passagem com pontos: utilizar os pontos acumulados para compra de passagem aérea.
  • Fechar hospedagem: fazer a reserva do hotel que ia ficar.
  • Comprar ingressos: escolher o jogo e comprar ingressos para ele
  • Comprar dólar: ir na casa de câmbio e comprar a moeda americana.
  • Aulas de inglês 1x por semana: Com o Max, para aprimorar a língua inglesa
  • Pesquisas lugares legais para visitar: No TripAdvisor ou outro site, pesquisar lugares para conhecer durante a viagem.

O quinto, sexto e sétimo passo estão interligados. Talvez pareça bagagem fazer um levantamento tão detalhado, mas isso faz toda diferença. Imagine que tudo isso são informações que estão guardadas na sua mente, e que ao colocar em um papel, fica cada vez mais claro os passos necessários.

O oitavo passo é um dos mais interessantes e está diretamente conectado ao quarto. É um levantamento dos custos para realizar o objetivo, ou os custos para fazer a viagem.

Se os custos fossem maiores que as fontes de renda, seria necessário pensar em como levantar fundos para essa viagem.

Nesse momento, pesquisei a média de gastos diários (transporte, alimentação) , valor de diária em hotel, valor da passagem, ingressos do jogo. Também foi importante incluir a viagem para São Paulo para tirar o visto, afinal, o visto americano é um Recurso Importante para realizar o objetivo, e ele tinha um custo.

Por último, na nona prateleira, criei um Plano de Ação, juntando todas as informações que levantei nas áreas anteriores.

  1. Em setembro ir para SP tirar os vistos;
  2. De agosto a dezembro fazer aulas de inglês 1x por semana;
  3. Depois de tirar o visto, comprar passagem, hospedagem, etc.
  4. Pesquisar todos os dias passagens, esperando o melhor preço.
  5. Continuar gastando no cartão de crédito para acumular pontos;
  6. Continuar guardando 10% na Conta dos Sonhos;
  7. Fazer uma lista dos itens que quero comprar;
  8. Pesquisar e criar um roteiro para 10 dias de viagem;

O Plano de Ação não necessariamente está em ordem. Nesse caso, o mais importante era tirar o visto. Sem ele não fazia sentido comprar passagem ou qualquer outro item da viagem. O Plano de Ação pode ser em ordem, como pode ser ações paralelas.

Com esse Personal Model Canva criado, ficou muito mais claro cada passo que precisava dar para viajar à Nova York no meu aniversário de 2018.

Para finalizar, vou te contar qual foi o resultado.


No final de setembro de 2018, tiramos o visto americano em São Paulo. Dia 13 de dezembro viajamos para Nova York, com quase tudo o que foi planejado sendo cumprido. No dia 18, um dia antes do meu aniversário assistimos o jogo Brooklyn Nets vs Los Angeles Lakers (jogão!). Voltamos para Londrina dia 23, dos dias antes do Natal.

Foi uma viagem incrível! Objetivo alcançado com sucesso.

Quer dizer que tudo saiu como o planejado? Não! O Personal Model Canva, como já dito, serve para trazer clareza. Muita coisa pode não acontecer como planejou, e isso realmente acontece. O mais importante foi ter criado um mapa detalhado para atingir o objetivo.

PERSONAL MODEL CANVA

Quer se aprofundar nos estudos do Personal Model Canva?